Luiz Leczinieski, da Bayer, falou sobre cuidados com Biossegurança para minimizar perdas com PRRS. “Precisamos desenvolver programas de segurança robustos para a evitar a entrada da doença como ações como reduzir frequência de eventos sanitários, treinar a equipe da granja 4 X ao ano, montar equipe de biosseguridade com representante de cada departamento, promover auditorias de biossegurança, além de elaborar e testar o plano de contingência”.

Leczinieski destaca o controle de fluxo de pessoas e animais, limpeza e desinfecção e biossegurança em todos os componentes da cadeia desde o transporte até os ingredientes e, principalmente, vetores como ratos e moscas. “As doenças mudam, os padrões das doenças podem mudar e precisamos ficar atentos. Não é porque a PRRS não chegou ao Brasil até hoje que significa que nunca vai chegar”.

Ao vivo do XI Sinsui Luiz Leczinieski da Bayer fala sobre cuidados com Biossegurança para minimizar perdas com PRRS."Precisamos desenvolver programas de segurança robustos para a evitar a entrada da doença como ações como reduzir frequencia de eventos sanitários, treinar a equipe da granja 4 X ao ano, montar equipe de biosseguridade com representante de cada departamento, promover auditorias de biossegurança além de elaborar e testar o plano de contigencia". Leczinieski destaca o controle de fluxo de pessoas e animais, limpeza e desifecção e biossegurança em todos os componentes da cadeia desde o transporte até os ingredientes e principalmente vetores como ratos e moscas. "As doenças mudam, os padrões das doenças podem mudar e precisamos ficar atentos. Não é porque a PRRS não chegou ao Brasil até hoje que significa que nunca vai chegar".

Publicado por Suino.com em Terça-feira, 22 de maio de 2018

Fonte: Panty Assessoria para suino.com